27 de abr de 2010

Como conquistar uma mulher

1 - Não seja você mesmo. Nunca! - Isso só vai te render amiguinhas.
2 - Irrite-a sempre. Discorde de vez em quando. - Se você for passivo com ela, você vai ter uma pessoa pra dar as palavras certas no momento mais difícil: Que saco!
3 - Sempre se auto-promova - Se possível, jogue os outros homens presentes no chão, faço-os sentir como você se sente, normalmente. Um lixo incapaz de alcançar o pintudo de cujas piadas todas acham graça.
4 - Seja debochado
5 - Seja um imbecil - se você for um cara centrado, sério, vai ser visto como um nerd idiota e nem amiguinha você vai ter. E se der uma de intelectual, será o chato que fala de trabalho/faculdade.
6 - Seja machista - mulheres adoram um machista, sempre reclamam, o que rende um tapinha que te dá liberdade pra passar a mão e no fim ela te dá.

Se você está disposto a ser um completo otário, essas aí são as dicas. Se não, fica aí sozinho nerdando, panaca, enquanto isso o gostosão tá lá pegando a garota que você queria ter um conto de novela. Novelas não existem, porra. Mas, se mesmo assim, você ainda insiste em ter cérebro, faça como eu, se revolte e bote pra fora todo seu rancor. E fique na espera que alguém diferente apareça. Alguém que não fale que gosta de ser bem tratada apenas por clichê. Alguém que não fale que gosta de tímidos só quando se referem a tímidos que cantam em uma banda de emo-rock, dançam em boates e fazem declarações em público (?????), afinal, isso descreve exatamente um tímido, não acha? Alguém que não existe, mas que você sempre torce para que apareça. Como uma questão de fé. Fé que não tem muitos motivos para prosseguir. E que vai se transformando em revolta. Revolta contra a babaquice dos seres humanos.

24 de abr de 2010

U2 - Walk On





*ao som de U2 (Walk On e One), Snow Patrol (The Only Noise), Joe Satriani (Always With me, Always with You) e Stone Temple Pilots (Plush)

18 de abr de 2010

Finalmente...

Consegui a licença para rodar o Max Plus II 10.2 aqui. Fui nesse site: http://www.altera.com/support/licensing/lic-university.html e entrei com uns dados e pronto, a licença pra estudante foi enviada pro meu email. Nunca penei tanto pra instalar um programa.

12 de abr de 2010

Mais do mesmo dia

Segunda tentativa de ir para o Fundão. (Na primeira já havia andado 5 km de manhã em vão)
2,8 km a pé até o ponto da Ayrton Senna com ônibus intermunicipais que passam no Fundão.
Pego o São João de Meriti x Barra. Ônibus com barulhos estranhos, para na Cidade de Deus e o motorista fica mexendo num negócio lá (a última vez que isso aconteceu, e também foi na CDD, o 175 quebrou no pedágio), mas o ônibus não quebra e ainda resgata um outro quebrado no caminho. Motorista claramente emputecido.
Fundão, aula, toda aquela coisa de sempre, um pouco de solda nos pulmões, LaTeX.
Volta, 322 finge que para.
Rua da Carioca, mais 0,5 km andando. Loja faliu. Rua da Carioca de novo, 267 já vem cheio. Pra Água Santa é mole. Mais 0,75 km.
269 via Serra. Serra liberada. Serra escura. Motorista claramente emputecido. Fala no celular pelo fone. Quase fiz uma carta de despedida. Tratou mal velhinha no Cardoso Fontes. Lamentável.
Mais 2,3 pra fechar a contagem.
TOTAL DO DIA: 11,3 km. Distância da minha casa até o posto 8 da Barra. Até a Intendente Magalhães. Da minha casa até o Riocentro. Tá bom né!

Caos não pára

Hoje, ao sair de cara, me deparo com a mesma cena da terça passada, exceto pela chuva: pontos de ônibus lotados. Mais um dia de deja vu, flashforward ou, simplesmente, repetição. Começou bem o dia: voltei para casa. Já não bastasse o caos do trânsito na Linha Amarela pela falta da Grajaú-Jacarepaguá, ainda tem a falta de ônibus... Parece que tá havendo algum problema com a Linha Amarela e/ou a Gabinal, tem ônibus desviando pra fugir. Ainda tenho a missão de chegar no Fundão, as aulas não foram canceladas por causa de um problema de lomoção de uma parcela da população do grande-rio. Ô fase...

11 de abr de 2010

Big Bang Theory - Strike one

Three strikes and You're out. Estou deveras desapontado com o último episódio inverossímil do Big Bang Theory ( s03e18 The Pants Alternative ). Foi um insulto com a característica do personagem colocar o Sheldon como um tímido com medo de platéia. O Sheldon é exibido e não liga para a opinião das pessoas. Muitos episódios comprovam isso. Sheldon já participou de um jogo de perguntas e respostas. De cara veio a minha mente os inúmeros congressos que o Sheldon participou, como poderia ter medo de platéia. Alguém que tenta explodir a cabeça do colega com pensamento na frente de todo mundo pode ter medo de platéia. Poderia ser o Raj, era só inventar que o Raj não podia beber, ou que a família dele estaria assistindo, sei lá. Já fiquei chateado com o sumiço da Bernadette (o que, somado aos dois sumiços anteriores, da Leslie e da médica gordinha, já poderia ser um strike, mas eu relevei) e já venho notando que essa terceira temporada está fraca. Algo me gritava isso quando eu percebi que estava se tornando popular. No começo eu achei legal, mas me parece que os roteiristas estão mais preocupados em agradar a esses novos fãs que os velhos fãs desde o banco de esperma. Bom, ainda acho graça em algumas tiradas, mas já não é como antes... Talvez eu esteja ficando chato, porém não fui o único a afirmar isso, ouve de algumas pessoas a mesma opinião. Há quem diga que a Penny se juntar que deixou chato, não concordo. Esse capítulo mesmo do stand up comedy by Sheldon ainda me fez rir mais que os episódios que eu vi de Family Guy (um assustador episódio em que o Stewie conversa com o Chris e o ajuda com uma garota - sério eu não consegui terminar de ver) e dos Simpsons (sem gracíssimo), e ainda é superior aos seriados bobos clássicos. Só que este foi o strike número 1. Mais dois e já sabe... Só espero que depois dessa pausa, o nível volte a subir. Eles tiveram bastante tempo pra refletir sobre as besteiras que andam fazendo. A desvantagem dessa pausa é que ficou com o gosto amargo desse episódio durante muito tempo. O que vier é um risco, ou será ruim e me deixará puto ou será bom e vou jogar pro alto toda a bobagem que eu falei. Agora, vou me dedicar mais ao FlashForward, esse ainda me prende.
OBS: Aos que me ouviram reclamar mais e mais sobre o assunto, peço que me perdoem. Minha revolta era grande e eu fiquei enchendo o saco de todo mundo com isso. Bom, agora que escrevi isso, deu pra me aliviar, já tá aí escrito pra ninguém ler.

8 de abr de 2010

Ctrl+alt+del no Ubuntu

Tive uma idéia ao me reler este post anterior: Como ver as propriedades de sistema no Ubuntu. Transformar o comando para este Monitor do Sistema no Control alt del , equivalendo ao caso do Windows. Bom, não tive sucesso para o ctrl+alt+del em si, mas consegui para o ctrl+alt+insert. O ctrlaltdel ordena a janela de desligamento do Ubuntu, não consegui mudar isso (não tentei muito a fundo também). Para trazer para ctrl+alt+insert, apertei alt+f2 e entrei com gconfig-editor, depois Apps>Metacity>global_keybindings e dei ao comando 10 o comando gnome-system-monitor e em keybindings_commands, o seguinte atalho para o comando 10: [Control][Alt]Insert . Pronto, meu ctrl+alt+del alternativo estava pronto.

7 de abr de 2010

After the rain, there's sun

Primeiro sol após a grande chuva:

(mas ainda tá instável, sol, depois chuva forte, depois sol de novo)

*ao som de Fedo Mora & Camurri (After the rain)

6 de abr de 2010

Rio's epic fail

Sim, hoje foi um dia "daqueles". Me senti no Flash Forward logo após o apagão, só faltou ver cangurus pelas ruas alagadas do Rio. Minha saga se iniciou ao acordar e pensar "que merda, não quero sair de casa hoje... mas tenho que sair, tenho trabalhinho a entregar e provinha a resolver". E então saí de casa. No ponto de ônibus, dou de cara com uma multidão a espera. Decidi caminhar ao centro do bairro, onde, teoricamente, teria mais opções. No caminho, multidões se formavam a cada ponto e ônibus não passavam... E fiquei no ponto esperando e nada acontecia. Ouvindo a CBN, recebi o conselho de que a melhor opção era "evitar sair de casa", mas não levei a sério esse conselho, interpretei apenas como "evite saídas desnecessárias" e ri por dentro, pensando, "tenho prova a fazer e o trabalho não pode parar. A metrópole não pode parar". De repente, vejo um ônibus escrito via linha amarela se aproximar. A princípio não levo fé, achando ser um 690, mas logo vejo ser um 240. Confirmo com o motorista que explica que é o via serra só que a serra estava interditada então ele ia fazer o caminho pela linha amarela. Ele fez o caminho na Freguesia até a Serra, fechada pela polícia, parecia coisa de filme, nunca tinha visto algo assim (ainda preciso ver a Niemeyer fechada com aquela cancela, deve ser show), com direito a pagodão do 240 (rapidamente anulado pelo Death Magnetic das horas mais difíceis). Em Bonsucesso, mais um momento canguru, um 663 surgiu, confirmo que vai pro Fundão e vejo meu #fail assim que o ônibus vira na Brasil, fazendo me estressar com palhaços que reclamam do meu guarda-chuva (segurar a mochila ninguém quer...) e outros que receberam minha extravasão de ódio com um xingamento após me empurrar ao som, no volume máximo, de Napalm Death. Mas, cheguei vivo no CT e fui recebido pela Lygia e o Yuri, e ao vê-los já melhorei meu humor. Vejo um CT sem luz do A ao H e, em meio a tentativas de jogar xadrez e conversa com o professor de chinelinho e garrafão de café, indo toda hora do A pro H, do H pro A (mas nunca no meio, quântica...), tomo a decisão de abandonar a ilha de lost através de um Caxias-Barra que fez a delicadeza de deixar a gente descer no engarrafamento. Mais um canguru quando desci a Linha Amarela, um ônibus pra Campo Grande, por essas bandas provavelmente porque a Grota Funda estava interditada, talvez indo pra Taquara. Saldo de 267 do dia: 0. Nos jornais, via as manchetes da noite passada que mais pareciam da manhã de hoje, acho que porque eu não vivi o caos de ontem, só fui perceber hoje. A minha percepção é mesmo de um dia catastrófico, mas de uma catástrofe evitável. Sempre penso, outros países têm furacões, terremotos e, aqui, uma chuva toma uma proporção parecida... O prefeito fala que a cidade parou por causa do excesso de chuva, isso não pode ser desculpa. Mas, a sensação mesmo era de um pós-flash forward, com avenidas vazias por causa de interdições anteriores e rios quase transbordando . Apesar da primeira grande crise de stress do ano (só porque ontem eu tava pensando, já temos 2 semanas de aulas e nenhuma crise!), observar o caos de vez em quando é legal. Amanhã, não sairei de casa (já foi decretado dia morto, só o hospital funciona) e vou poder curtir as goteiras.
PS: Detalhe importante - só o Burguesão tinha luz no CT

Cara fazendo malabaris pro Banco do Brasil estava lá, no dia caótico (cartão do Santander também estava)

Poça gigante na Linha Vermelha

1 de abr de 2010

Decodificação em Árvore

Em pleno pré-feriado localizado em primeiro de Abril, devo declarar que acho que finalmente consegui entender o método da Decodificação em Árvore. Para as pessoas de fé, eis aqui um algoritmo que eu concluí sobre a decodificação em árvore de módulos combinacionais, em Sistemas Digitais:

1) Separar o conjunto de bits em dois vetores
2) Decodificar o vetor da esquerda (MSBits) e, para cada saída, atribuir um novo codificador que irá receber coom enable cada uma dessas saídas e, como entrada, o vetor da direita
3) o enable só irá permitir que um decodificador funcione, atribuindo a cada vetor total uma única saída
4) no total, teremos n+1 decodificadores (n é o número de bits de entrada) (fonte: http://www.dca.fee.unicamp.br/~martino/disciplinas/ea772/na12.pdf )

Nada como umas guitarras para fazer meu cérebro funcionar, viva o Blizzard of Oz
*ao som de Ozzy Osbourne (Crazy Train e Goodbye to Romance)

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...