30 de jan de 2012

Criar Arquivo help no Matlab para arquivo .m

O modelo de um arquivo m é como a seguir:


function [saidas]=nomedafunção(entradas) onde, saidas é opcional e nomedavariavel é o nome do arquivo.m

%comentários com % que serão exibidos com o comando help nomedafunção
%comentários com % que serão exibidos com o comando help nomedafunção
%comentários com % que serão exibidos com o comando help nomedafunção

função em si

Simples assim.

Post relacionado: Função formaParalela usando cabeçalho como help formaParalela

28 de jan de 2012

Backup Emoticons MSN: Win XP para Win7

Para recuperar os emoticons de forma simples, de um Windows XP para o Windows 7, fiz o seguinte:


-No Win XP, copiar a pasta 
C:\documents and settings\"seu nome"\configurações locais\dados de aplicativos\microsoft\messenger\"seu msn"\ObjectStore\CustomEmoticons em algum local seguro 


-Colar o conteúdo para a pasta
C:\Users\"seu nome"\AppData\Local\Microsoft\Messenger\"seu msn"\ObjectStore\CustomEmoticons


Para backups entre versões iguais do Windows, basta manter o padrão de pastas.
Para backup de fundo e winks (não testei, nem me interessei), copie a pasta equivalente em ObjectStore 


REFERÊNCIA:
http://forum.clubedohardware.com.br/fazendo-backup-emoticons/450421?s=bce71b927c1bb6d5a05d2f80e492a88d& (caso alguma coisa não funcione, use os procedimentos deste site, que recomenda copiar alguns outros arquivos)

21 de jan de 2012

Como fazer efeito Instagram no GIMP

Post relacionado: Plugin de Instagram para Gimp

É possível dar aquele efeito de luminosidade das fotos do Instagram, usando ferramentas básicas do GIMP.

Primeiro, abra a imagem e faça uma cópia da camada para fins de backup, deixando-a invisível.



Para fazer a borda arredondada e uma marge, clique em IMAGE > TAMANHO DA TELA DE PINTURA e aumente o quanto desejar, sem esquecer de clicar no botão CENTRALIZAR. (Note que você pode errar na mão para mais, é só usar o crop shift+c ao final)


Selecione a cor de fundo desejada. Crie uma nova camada, selecionando cor de fundo e coloque ela na base da pilha.




Agora, clique na SELEÇÃO RETANGULAR e, em seguida, na opção CANTOS ARREDONDADOS. Selecione, contornando a imagem, na camada principal. Depois, inverta a seleção (crtl+i).




Para alterar a luminosidade, crie outra cópia da camada principal, dessa vez, deixando visível, selecionando o modo SOBREPOR.


Vá repetindo a operação à gosto, até ficar na luminosidade desejada. Faça os ajustes com a guilhotina, se achar necessário e pronto, a imagem está afrescalhada! 

RESULTADO:


Antes


Depois
 Apenas uma brincadeirinha, com base nas idéias do pobregram.tumblr.com


CRÉDITOS: 

20 de jan de 2012

Contra SOPA, PIPA e PEC 99



tradução de Marília Moschkovich (www.mulheralternativa.net)
Texto original em https://static.thepiratebay.org/legal/sopa.txt
 
INTERNET, 18 de Janeiro de 2012.
RELEASE PARA PUBLICAÇÃO IMEDIATA.
 
Há mais de um século Thomas Edicon patenteou um aparelho que faria "aos olhos o que o fonógrafo faz para os ouvidos". Chamou-o de Kinetscópio. Ele não só esteve entre os primeiro a gravarem um vídeo, mas também foi a primeira pessoa a possuir direitos autorais de um filme. Por conta dos patentes de Edison para os filmes, era financeiramente quase impossível criar filmes na costa leste dos EUA. Os estúdios de filmes então se mudaram para a Califórnia e fundaram aquilo que hoje chamamos de Hollywood. O principal motivo foi a ausência de patentes.

Também não havia direitos autorais à época, então os estúdios copiavam histórias antigas e faziam delas filmes - como Fantasia, um dos maiores "hits" da Disney até hoje.

Então toda a base desta indústria, que hoje faz mimimi sobre perder controle de direitos de bens imateriais, veio justamente de uma manobra com direitos imateriais. Eles copiaram (ou, para falar nos termos deles: "roubaram") o trabalho criativo de outras pessoas sem pagar por isso. O fizeram para obter lucos exorbitantes. Hoje têm sucesso e a maioria dos estúdios figura na listagem Fortune 500, das empresas mais ricas do mundo. Parabéns - tudo isso porque vocês puderam reutilizar o trabalho criativo de outras pessoas. Eles agora possuem os direitos sobre o que outras pessoas criam. Se você quiser lançar um trabalho seu, precisa seguir as regras deles. Aquelas que eles criaram manobrando e distorcendo as regras de outras pessoas.

O motivo pelo qual eles vivem reclamando de "pirataria" hoje é simples. Nós fizemos o que eles fizeram. Manobramos as regras que eles criaram e criamos as nossas próprias regras. Esmagamos seu monopólio dando às pessoas algo mais eficiente. Pemitimos às pessoas comunicarem-se diretamente umas com as outras, deixando pra trás o intermediário que gera lucro, em alguns casos de até 107% (sim, você paga pra trabalhar pra eles).

Está tudo sobre o fato de que nós somos competição.

Provamos que a existência deles nos moldes atuais não é mais necessária. Somos melhores do que eles são, simples assim.

A parte engraçada é que nossas regras são similares às ideias fundadoras dos EUA. Lutamos por liberdade de dircurso e expressão. Vemos todas as pessoas como iguais. Acreditamos que a população como um todo, não só as elites, devem governar a nação. Acreditamos que as leis precisam servir a essa população, não a corporações riquíssimas.

O Pirate Bay é de fato uma comunidade internacional. A equipe está espalhada pelo globo - mas ficamos fora dos EUA. Temos raízes suecas e um amigo sueco nos disse:

A palavra SOPA significa "lixo" em sueco. A palavra PIPA significa "tubulação" em sueco. Esta não é uma coincidência. Eles querem tornar a internet uma tubulação de mão única, com eles no topo, atulhando lixo através dela sobre nós, abaixo, consumidores obedientes.

A opinião pública nesse caso é clara. Pergunte a qualquer um nas ruas e verá que ninguém quer ter que comer lixo. Por que o hoverno dos EUA quer alimentar a população com lixo está além da nossa imaginação, mas esperamos que vocês o impeçam antes que todos nos afoguemos.

SOPA não tem o poder de atingir ou parar o The Pirate Bay. Na pior das hipóteses trocaremos o domínio principal de .org para outro das centenas de nomes que já usamos. Nos países onde o The Pirate Bay é bloqueado, China e Arabia Saudita são os que mais lembramos, eles bloquearam centenas de nossos nomes de domínio. Funcionou? Não.

Para acabar com "o problema da pirataria", devemos ir a suas raízes. A indústria do entretenimento diz que estão produzindo "cultura" mas o que eles fazem na real são coisas como vender bonecas peruas caríssimas fazendo meninas de 11 anos se tornarem anoréxicas - seja por trabalharem nas fábricas que criam as bonecas praticamente sem receber salários ou por assistirem filmes e programas de TV que as fazem pensar que estão gordas.

No ótimo jogo de computador Civilization, pode-se construir Maravilhas do Mundo. Uma das mais poderosas é Hollywood. Com ela você controla toda a cultura e a mídia do mundo. Rupert Murdoch estava feliz com o MySpace e não tinha nenhum roblema com a pirataria que rolava lá até que a plataforma deu errado. Agora ele está reclamando que o Google é a maior fonte de pirataria no mundo - porque está com invejinha. Ele quer continuar tendo poder sobre a mente das pessoas enquanto claramente se tem uma visão mais honesta das coisas na Wikipedia e no Google do que na Fox News. [ou no Jornal Nacional]

Alguns fatos (anos, datas) estão provavelmente errados nesse release. O motivo para isso é que não podemos acessar a informação se a Wikipedia está desligada. Por causa de pressão dos nosso falidos competidores. Nos perdoem.

THE PIRATE BAY, (K)2012

via http://www.mulheralternativa.net/2012/01/nao-censura-na-internet-comunicado.html

18 de jan de 2012

Alteração em leis no RJ

Hoje, fui surpreendido com uma mudança em algumas leis, de maneira peculiar. Antes de saber, estava impressionado como o trânsito estava caótico hoje, mas prossegui, afinal, podia ser apenas a pressa cotidiana das pessoas. Até que fui surpreendido por um carro da polícia parando no ponto de ônibus, o que, na lei que estava em vigor na minha cabeça, era proibido.






Código de Trânsito Brasileiro 

550 -  Estacionar veículo em ponto de ônibus.
Código de Trânsito Brasileiro (CTB) - Art. 181, inciso XIII Infração: Média - 04 (quatro) pontos Penalidade: Multa - R$ 85,13 Medida administrativa:Remoção do veículo.
O que diz a Lei: 

Art. 181. Estacionar o veículo: 
XIII - onde houver sinalização horizontal delimitadora de ponto de embarque ou desembarque de passageiros de transporte coletivo ou, na inexistência desta sinalização, no intervalo compreendido entre dez metros antes e depois do marco do ponto.


Então, fui informado que esta lei caiu. E tal foi minha surpresa ao saber que outras leis também haviam sido modificadas! Fiquei chocado e preocupado, mas como bom cidadão carioca, me conformei com os absurdos.


Logo após isso, fiquei preocupado com a segurança dos pedestres, mas paciência. A seguinte lei foi alterada!


Art. 208. Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória: 

Infração - gravíssima; 

Penalidade - multa. 


Agora, sempre que julgar importante o avanço de sinal, qualquer motorista pode avançar, mesmo que estejam pedestres na faixa. Em caso de pedestres insistirem em atravessar, desrespeitando a necessidade de furar o sinal de um motorista, podem até ser presos por colocarem sua própria vida em risco, sob a acusação de suicídio culposo. Então, pedestre, alerta! Mesmo que o sinal esteja verde pra você, a partir de agora, você tem que tomar cuidado para não atropelar os carros!

Eu, prossegui relaxado nas minhas andanças pela cidade, vendo ,na prática, o que havia mudado. É realmente engraçado as motos pela calçada e/ou na contramão, só que muita coisa mudou para acabar essa injustiça que faziam com os pobres motoqueiros de serem obrigados a fazer retornos como os carros ou mesmo, seguir a mão. A partir de agora, estão liberadas quaisquer pistas em quaisquer direções para motos, que podem também usar de calçadas, canteiros, jardins e agulhas conforme a menor distância, quem for pego fazendo retorno na placa a seguir pode se ferrar!

Também estão liberadas as passarelas, antes somente liberadas para pedestres e ciclistas desmontados, agora ciclistas e motociclistas podem acessar passarelas e passagens subterrâneas montados, estando os pedestres sujeitos às mesmas regras do avanço do sinal verde citado acima. O que, devemos admitir, foi um alívio e o fim de uma hipocrisia, já que todo mundo usava as passarelas e os contornos proibidos mesmo, pelo menos essas pessoas tão necessitadas não vão correr o risco de serem multadas. E, claro, costurar o trânsito continua liberado, como na regra antiga.


Mas a regra que mais me incomodou, na verdade, foi a permissão para o uso de aparelhos de som em transporte coletivo! Algo que sempre me incomodou, bom deve ter algum bom motivo para isto tudo. Quem sabe a mistura musical não fique tão zoneada a ponto de as pessoas, finalmente, colocarem o fone para entender a própria música.


E, por fim, estão liberadas as vagas para deficientes, os aumentos no preço das passagens, o nepotismo, o suborno... E, notícia de última hora, atenção: FOI PERMITIDO O USO DE CEROL. Por sinal, soltar pipa foi considerado um patrimônio cultural e pisar nas linhas ou rasgar papagaios agora é crime contra o patrimônio!


Tudo isso parece absurdo não é mesmo? E é! Mas, se repararmos bem, ter ou não ter essas leis enlouquecidas faria alguma diferença? Diariamente, temos que tomar cuidado com carros avançando o sinal mesmo quando estamos na faixa, no nosso tempo. Quantos não perderam o retrovisor com motos costurando o trânsito. Todas essas infrações, vocês já devem ter visto algum caso. Mas, pense bem, por outro lado, já viu alguém ser multado, chamado atenção, preso, repreendido pelas mesmas coisas? Talvez se essa notícia fosse séria, não sei se faria realmente muita diferença. 


E, para somar, hoje é o dia do protesto mundial contra a censura na internet. Abaixo SOPA e PIPA. E diria mais, pipa de soltar também não faria muita diferença não hein...








15 de jan de 2012

Reclamando sobre as reclamações das reclamações


É moda no facebook, atualmente, falar mal das reclamações alheias. Por algum motivo, reclamar de coisas populares se tornou um padrao, e, agora, algumas pessoas, por trollagem ou mau gosto, ou, simplesmente, por um suposto respeito ao próximo, estão vindo com essa ladainha contra o sistema.


Com o advento do orkut e ascençao do facebook, talvez possa ter havido uma segregação social, o que acho pouco provável... Não uso o orkut para saber se ainda é ativo, mas só  com a relé, mas é fato que a revolta contra o que é popular se tornou padrão no facebook - coisa que não acontecia no falecido orkut. Entretanto, essa massa de revoltados fazendo presença podia ser efeito apenas da minha rede de amigos, e devo dizer que foi bem mais selecionada que no orkut. 


Acredito que possa ter, mesmo, uma divisao entre os apelos populares nas redes sociais porque, o que é popular, ganha espaço e se torna viral mesmo que seu controle seja feito. A prova disso é que a praga de compartilhe uma vela pra Jesus atingiu o facebook (felizmente, tem diminuido, mas nao sei ao certo se eu fiz algo, acredito que nao, pois algumas peças responsaveis ainda tao cadastradas no meu caderno de historias (sim, eu dei essa volta pra nao falar feed)). Entao, em defesa dessa "minoria", alguns contra-movimentos - e o engraçado é que, mesmo pessoas que nao gostam de michel tero, bbb, etc e que ja reclamaram de bobagens populares, estao aderindo, talvez seja pressao social - estao surgindo, sob a alegaçao de preconceito, intolerancia, possibilidade de trocar de canal...


Entao façamos a dissecação desses topicos:
1 Preconceito
"Você não pode falar do que não conhece"
Poderia devolver usando o argumento de "voce nao precisa ser atropelado pra saber que é ruim" isso pra nao dizer outra coisa, porem vai alem. COMO EU NAO CONHEÇO, ESSAS PORCARIAS SAO ENFIADAS GOELA ABAIXO. Eu nunca ouvi nada do Justin Biba alem da baby baby (nao sei se só  tem essa mesmo), entao de fato estaria falando mal sem conhecer. Mas Micheo Uoh, BBB, essas coisas estao ai presentes o tempo todo, no seu vizinho que toca musica alto, nas chamadas de programas de auditorio entre outros meios invasivos. Se nao fosse essa chateaçao, provavelmente nao falaria, nem bem nem mal, continuaria ouvindo meu rock britanico ou brasiliense como sempre. Ignoraria totalmente este artista de renome internacional, talvez o primeiro - sim, Sepultura, Andre Matos, podem se matar, ha gente que acredita que Michel Telo é pioneiro, esqueçam Carmen Miranda, Roberto Carlos e até a desgraça da Wanessa - como fiz com o Justin Biba que, ao contrario do michel que tem fas populares que andam com caixa de som na rua tocando "assim voce me mata" pra seduzir as gatinhas na rua, ao contrario deles, só  tem fas adolescentes que ouvem essa droga em suas caixinhas de som fraquinhas no pc.


2 Intolerancia
Veja só  que, agora, os roqueiros e agnosticos sao os intolerantes. Nem vou discorrer um historico sociocultural aqui para provar isso, vou apenas provar que, no minimo, é intolerancia mutua. Quando eu falava com populares, eles achavam que eu era errado por gostar de rock e na epoca nem ouvia thrash metal! Era só  coisa levezinha... Ha um preconceito irracional com rock, claro que o demonio que se apossa do Black Sabbath nao é o mesmo que se apossa do Restart pra essas pessoas, mesmo sendo os dois considerados a mesma categoria rock. E voltamos a questao do preconceito: EU SEMPRE OUÇO A MUSICA COM APELO POPULAR DE FORMA FORÇADA, EU CONHEÇO E OS POPULARES SEQUER OUVIRAM MINHA MUSICA. Porque heavy metal melódico é coisa de mulherzinha, britpop é coisa de deprimido, opinião geralmente expressa com dois acordes. OK, dois acordes também me são suficientes pra dizer "que porcaria", basta vir um tchum e um tchatcha. E, sobre o agnosticismo, basta ver, cristãos já te crucificam sem nem conhecer por isso (as vezes até conhecendo, mas sabendo dessa "doença") e até onde eu sei isso é a forma mais modelada do preconceito. E, do outro, lado, as criticas geralmente direcionadas ao ganho de falsos profetas que estao longe de seguir os dez ou doze mandamentos. Principalmente os dois extras que, pelo que lembro, dizem sobre respeito ao proximo.


3 Nao gosta de BBB, muda de canal
Eu tento, a todo custo, ficar alienado até dos nomes dos personagens. Eu não vejo BBB, mas vejo programas na Globo, na Multishow e em outros canais (Band por exemplo) que possuem chamadas sobre programas que discutem (!!!) o jogo, mostra fofocas, fora a internet, mas ai seria o caso de liberdade de expressão, nao vamos mexer nisso. Veja só  o exemplo, estou eu la vendo autoesporte ai vem uma chamada do panaca que entrevista pessoas na Freguesia e no Downtown e começa a falar isso na propaganda. Eu devo mudar de canal? Eu sequer estou vendo BBB, e acredito que a Globo tenha coisas decentes de se ver, essa propaganda intensa faz parte do negocio dela, para minha desgraça. E para a alegria dos defensores da liberdade de censurar a reclamaçao.


O face foi, muitas vezes, um espaço que me senti bem por encontrar opiniões semelhantes a minha de forma massiva, entretanto, agora, a babaquice esta dominando. Uma babaquice totalmente sem argumentos, a partir do momento que me são bombardeadas as porcarias do mundo e ainda somos criticados por ser contra elas? Se esta cansado dos reclamões, dá unfollow.  Até porque, se a reclamações sobre a reclamação é ainda uma reclamação, então você está reclamando contra si mesmo: seus argumentos não são válidos! Até a próxima!


*ao som de Dream Theater (Beneath the Surface, Far from Heaven, Breaking all Illusions, Hollow Years, Burning my Soul, Hell's Kitchen e Lines in the Sand)

5 de jan de 2012

Retrospectiva de Bobagens 2011

Neste ano que os ditos "memes" tomaram conta do mundo (eu sei que isso não é de hoje, o Fuu é bem antigo), quando qualquer careta podia virar um símbolo mundial:




resolvi fazer uma retrospectiva especial para as bobagens que brotaram em 2011. E, para não perder o ritmo, começo pelo 9gag.




É uma comunidade de compartilhamento de bobagens que, pelo que entendi, segue a filosofia da Wiki do "compartilha quem quiser" e cujos principais posts são parecidos com os TT do Twitter, quem mais recebe visitas, comentários, etc fica na frente. É, enfim, um criador de virais baseado no próprio processo de criação de virais. Este ano, ele surgiu com muita força, com grande número de compartilhamentos no Facebook, o segundo tópico deste post.






Este ano foi a ascensão e início de queda do facebook. Foi divertido uma época, passou por momentos de joselitagem com as marcações, mas isso foi dando tanta encrenca que foi se acalmando. Logo em seguida, vieram as comunidades/grupos/seja lá o que for de humor, geralmente com nome escrachado em CAPS LOCK, que pode até ser legal, mas já chegou a um certo exagero. Eu mesmo comecei a me controlar mais, ficava postando muita coisa do capinaremos e do treta, e acabei vendo que essas postagens excessivas de 9gag e derivados estava já dando no saco (o facebook chegou até a bloquear o 9gag), porém, ainda acho que esses TORINDOMUITO sejam piores, com reblogagens frenéticas. E, junto com eles, os posts saudosistas (ê herança portuguesa!) e, para acabar com o face de vez, os trolls do Unidos contra o Rock. Creio que o Tumblr seja até mais adequado para estes tipos de posts e lá as postagens são bem mais calmas, ainda está agradável (não que não tenha pestinhas por lá, mas ainda não me deparei com nenhuma tumblrfight).







Ainda dentro do assunto Face, temos aqui um viral. Com a ajuda do 
http://info.abril.com.br/noticias/blogs/geek-list/internet/10-virais-inesqueciveis-de-2011/ , pude lembrar de outros virais de 2011 (alguns eu nem conheci, então, serão mesmo virais ou eu que moro numa bolha?). Esse do "Ninguém me Cutuca" eu vi, pasmem, na autoescola. Naquelas aulas teóricas de "se beber, não dirija".




Esse é bem tenso, do fundo do Orkut, mas trouxe o bordão "E teve boatos que eu estava na pior, se isso é estar na pior... porram", que inclusive foi parar na novela. Outros vídeos que eu reconheci foram o Pôneis Malditos - que nem achei nada demais, a música ficava na cabeça mas era bobinha, bom o cara conseguiu o que queria que era transformar num hit, para quem não lembra, era propaganda de carro, já que a musiquinha fica, mas, muita vezes, o produto não - e o Hoje é dia de rock bebê - a atriz que tava bêbada e ninguém tem nada com isso (ela foi até brilhante), só que é inusitado, as pessas geralmente se divertem com anônimos bêbados (cutuca...), quando é com famoso, se faz, mas no fundo, todo mundo já se viu nessas situações... Brasileiros... 





Ainda na listinha, o tal do Mamilos eu não vi, apenas presenciei a palavra "Mamilos" boa parte do ano no twitter. (acabei de ver e, como esperado, é uma total idiotice) 


Senti falta desses:




Um dos virais mais engraçados do ano, desses pra levar pro resto da vida.




Tá certo que esse não foi de 2011, mas foi no finzinho e se arrastou por um bom período. Sem contar nas inúmeras variações




Lembro que teve uma campanha para alguma semicelebridade dessas da internet comprar uma casa, não vou achar, também nem tomei conhecimento direito. Algo me diz que foi uma das campanhas do Pânico. Tenho que citar também o "Ai como eu tô bandida" (essa desgraça de Zorra Total ainda funciona)




E não me esqueci, deixei para o final. O "deselegante", que ganhou força internacional...




E que 2012 seja muito elegante!





PS: Um viral que vale a pena:

2 de jan de 2012

Retrospectival Musical 2011

Este ano foi um ano de abertura do mercado musical, principalmente inspirado pelos grandes Rock in Rio e SWU, apesar de não sair muito do meu estilo usual, mas procurei me aprofundar em artistas que conhecia pouco ou só uma música, mas que faziam bastante meu gosto.




Começando pela lista de músicas mais ouvidas, a número 1 foi bem influenciada pelo clipe que eu via toda hora, e porque essa música tocava toda hora no verão e é um hit aceitável. Em seguida, Take Away My Pain, que é quase uma oração, uma letra linda e um som bem tranquilo, do disco mais injustiçado do Dream Theater. Tias Fofinhas ouvi muito no começo e no meio do ano, me traz lembranças de Cabo Frio e de épocas de incertezas felizes e se apresenta no 3º e 8º lugares, sendo que Women in Chains está apenas em 81º, que também ouvi bastante, mas foi mais no celular. HIM com Behind the Crimson Door foi uma música bem bonitinha que valia a pena. We care a lot, assim como várias outras músicas viciantes do Faith no More (Midlife Crisis e We care a Lot no 18º, por exemplo), deve ter sido em algum dia que ouvi em loop infinito várias vezes. The Mirror vem de uma época que estava ouvindo freneticamente o Awake, e fiquei muito viciado na potência do início dessa música e que acabava dando a deixa pra Lie também ficar na cabeça (lá no 48º). Voices também aparece, no 32º. Time after Time, não lembro de ter alguma ocasião especial, é uma musiquinha agradável, se não me engano, incorporei na campanha para descobrir coisas novas (Sugar Ray, só conhecia When it's over e Fly). Walk on é uma música linda do U2 que, neste ano de 2011, descobri o clipe ser aqui no Rio, com direito a praia da Barra e escadarias da Lapa:











(L)(L) mtos arrepios esse clipe. Especialmente por ser no Brêisiu


Também teve Beatles, sob o mesmo efeito músicas viciantes sendo repetidas freneticamente, esse "I read the news today Oh Boy" ficava na cabeça e quando começava, não parava! Giz aparece aí também com aquele verso "eu rabisco o sol que a chuva apagou" e é uma música meiga, para dias chuvosos de inverno sem melancolia. Buried Alive é uma das poucas sobreviventes junto com a própria God Hate Us. Every teardrop is a waterfall foi a primeira música lançada do novo disco do Coldplay, então me empolgou muito no início, mas não é minha favorita, já até abandonei ela. Lasgo com seu som eletrônico foi algo que ouvi bastante nos meses de Julho, Agosto e Setembro e tá aí representado pela Cry. Aerosmith surge com sua primeira música, Walk this Way, um rap que vale a pena, apenas por ser uma música  excelente. You love me to hate you me lembra meio do primeiro semestre, quando estava ouvindo muito o Hot in the Shade, mas lembro de, depois já ter parado de ouvir freneticamente, ouvir num engarrafamento na Avenida Brasil. Lines in the Sand é mais uma listada por sua qualidade, sem nenhum envolvimento emocional, com sua introdução épica. E que solo! 









como eu perdi metade do post pq o blogger não salvou não vou terminar esta merda foda-se


Albums: Descobertas: Sugar Ray, Hall & Oates, Red Hot, Keane e Aerosmith. Keane merece um parênteses. Me apaixonei pelo Hopes and Fears, mas tenho medo de conhecer os outros trabalhos, o pessoal costuma falar muito mal no Youtube e só aclamar este. 




Lançamentos: Mylo Xyloto e A Dramatic Turn of Events, das amadas Coldplay e Dream Theater. De sempre: O descobrimento do Brasil, Rocket Ride, Queen, Lost and Found (essa sempre me salvando em momentos de guerra), Best of Both Worlds, Appetite for Destruction, Familiar to Millions, All that You can't leave Behind. Estranho a presença do Smiths, provável música viral. Snow Patrol e Metallica, novamente sob  efeito Rock in Rio e Faith no More, SWU. E Lasgo marcando a presença da música eletrônica melancólica em segundo lugar!


Dos Artistas, o Mudvayne entra aí com a ajuda dos dois outros discos que não conheciaThe end of All things to come e L. D. 50, Edguy também incorporei algumas coisas novas, inclusive a épica Tears of Mandrake.


Inclusive, graças ao Edguy, ouvi um show completo do Avantasia e pincei uma música que adorei, então baixei o disco The Scarecrow, e me foi muito mais agradável que os outros que tinha ouvido. Prendeu minha atenção e gostei do que ouvi!




Mas não chegou a tempo de aparecer nos registros. Outra banda nesse mesmo estilo que aprendi a gostar foi a Kamelot que, apesar de todos os apelos para que eu ouvisse o Black Halo (que já ouvi e não lembro de ter prestado atenção, talvez possa capturar algo que deixei passar da outra vez... e isso faz tempo já), ouvi o BOM Epica. Acho que me deparei com o Epica sem querer, procurando por Paradise noas músicas, acabei ouvindo The Edge of Paradise e gostei. Acabei viciado em Farewll e The Mourning After. 




Graças ao Rock in Rio presenciando os fãs enlouquecidos do Angra, tentei me aprofundar na obra (tentar ouvir o que não consegui ouvir graças ao som ferrado do palco Sunset, só mesmo na voz do galerão), mas não me dou bem mesmo com Angra, acabei retornando ao Shaman e o CD da música do Beijo do Vampiro. O André Mattos que foi o primeiro confirmado no Brasil Open Air! Inclusive baixei um projeto dele com o guitarrista do Stratovarius, mas ainda não ouvi. E também ouvi o Almah, do Edu Falaschi, e gostei, mas preciso dar uma aprofundada nele ainda. Helloween também resgatou o metal melódico em mim, até ouvi na fila do RiR, ressucitei o Live in the U.K. aqui. E, pra finalizar o ano, Katy Perry, conectando o começo com academia e California Gurls (e não Girls, como do David Lee Roth) com o fim, ouvindo as outras músicas, bonitinhas, do mesmo disco, ressucitado pela Multishow, com o clipe divertido de Last Friday Night, com direito a Kenny G da depressão! Fecho com ela, totalmente desconexo do meu poserismo metaleiro, totalmente viciante (e provavelmente enjoativa, como inerente ao mundo pop), uma pena ela não cantar como no estúdio, como comprovei em uma versão de uma música do Queen, no utubo.



1 de jan de 2012

Natal 2011

Este natal deve ter sido o mais corrido de todos. Ta certo que a faculdade nos ultimos anos tem se apresentado mto tumultuada nesta epoca, sempre critica de trabalhos e acabo chegando ao natal querendo descanso. Talvez apenas tenha crescido, mas ha algo nessas musiquinhas monofonicas tipicas que me remetem a infancia de um modo muito forte, um saudosismo, uma vontade de sair na rua, sem muita consciencia da violencia do mundo la fora, apenas pra ver as luzes. Espiar sem pudor casa grandes e protegidas, iluminadas de maneira espetacular. Talvez eu nao veja mais nenhum significado religioso na data, teoricamente apenas mais um feriado superestimado, consumista e plagiado, uma festa paga que se perpetuou. Mas ainda assim, essas musiquinhas me retornam algum sentimento. Mesmo tendo plena consciencia disso tudo, vem aquelas lembranças da missa do natal e do ano novo com fogos la fora. E 2011 foi um ano que quase nao fui tocado por isso que eu chamo depressao de natal. Nao que seja exatamente triste, eh como um bom drama no cinema. Eh mais para melancolico: o limite entre triste e o agradavel. Mas esse sentimento veio nas ultimos dias deste ano que aqui se encerra. Apesar dos trabalhos acabando quase no talo do ano. E ok, nao senti tanto aquela agonia tipica, o importante eh que o sentimento nao morra. Feliz 2012... 31 de dezeçbro de 2011, 23 horas e 50 min

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...