30 de jul de 2012

Mudar dispositivo no LPCXpresso

Os arquivos de exemplo geralmente não são exatamente a ARM que se tem disponível. Por exemplo, tenho exemplos aqui para LPC_1114 e a minha é 1113. Para modificar, clique em Project -> Properties e na janela que for aberta, C/C++ build -> MCU settings


29 de jul de 2012

Transmissão da Record

Quero parabenizarmos (e pros babaca que falaram "parei de ler em 'parabenizarmos'", é um erro proposital, deixa de ser maluco) a Record pela sua magnífica cobertura dos Jogos Olímpicos. Eu, sinceramente, espera uma coisa mais sacaneada, mas até agora, está me agradando. Comentaristas em todas as modalidades, transmissão sem exageros e PRINCIPALMENTE sem imagens de populares pulam/dando entrevistas inúteis/sendo populares. E eu torço com todas as minhas forças para que continue assim, sem intervenção de populares, sem craquenetícies e galvãobueníces. Até agora, minha única crítica foi a entrevista do nadador que tirou medalha de prata: o cara tava lá morto e a mulher queria perguntar da mãe, dos fãs e dos caralho. Chato demais. E é chato também a quase censura a cobertura de outros meios de comunicação, do tipo Dicky Vigarista e, uma última crítica, é que a emissora é do Edir Macedo e isso sempre é um motivo para criticar. De resto, parabéns pela transmissão e que isso dê forças para diminuir o monopólio da força televisiva. Mas torcia mais pelo Silvio.

18 de jul de 2012

Neo-Nerds, Neo-Metaleiros e hipsters

Não sei como, mas ser nerd virou moda.Talvez tenha sidoo pioneirismo dos nerds na internet e sua verdadeira vocação para discutir assuntos específicos ao limite. Com o advento da internet, foi possível achar pessoas com gostos parecidos. E esta é a verdadeira definição de nerd, alguém com gosto obsessivo por algo. Então, mais pessoas foram chegando à internet e, para se sentir à vontade, passaram a dar algum valor para assuntos que gostam, pero no mucho. Na verdade, muito do que eu penso está expresso nesse site - http://quadro-a-quadro.blog.br/?p=5674 -  mas queria analisar aqui se há algo de bom no neo-nerdismo.


O que eu chamo de neo-nerd é aquela pessoa, poser, que diz gostar de coisas ditas nerds, mas não parece ter problemas sociais, não parece ter levado porrada. Não é magrelo nem gordo, não usa óculos, mas tudo isso seria preconceito, o que há de principal nos neonerds é o tal do "orgulho nerd". Quando conheci esse tal de nerd pride, foi uma situação absurda. Eu, como verdadeiro nerd, não sabia que porra era essa (e posso dizer que era verdadeiro porque, na época, ainda antes da faculdade, era totalmente solitário, me focava em socializar em fóruns de Worms e GTA-VC e vestia camisa do pokémon já com idade pra "parar de gostar disso"). Então, uma menina (ok, eu falava com meninas, dá licença, se duvidar até mais que hoje em dia, uma faculdade de engenharia típica, mas, de certa forma, as poucas que falo, tenho mais intimidade que na escola (infinitamente mais, diria)) me perguntou se eu era da nerd pride.  E ela, uma menina bonita, com namorado, sociável, dizia ser da tal nerd pride e eu, magrelo, branquelo, vítima de bule e jogador de roper, não sabia o que era. Perceberam a inversão? E claro que o namorado dela jogava bola e tinha brinquinho na orelha esquerda, por que ele e não eu? Mistérios... E isso é ser nerd. É ser o Homem Aranha no filme de 2002, não no filme de 2012!


Isto, senhores, é um personagem nerd... E este tchau não foi pra ele.
Mas taí uma boa teoria para o surgimento dos neo-nerds. As meninas, menos sujeitas a ataques, começaram a sair do armário e os rapazes, para se darem bem com ela, começaram a experimentar (naturalmente curtiram, porque só não curte essas coisas quem olha com preconceito). Por outro lado, também tinha garota que fazia piada com os meninos que gostavam das bobeiras nerds... Certos campos foram eleitas temáticas nerds, são elas: 


-Star Wars/Star Trek
Sempre foi uma temática relegada aos estranhos, apesar de ter tido uma enorme popularidade nos cinemas. É este um ponto que acho estranho, como algo tão popular (e aqui não se trata de alguma coisa infantil) pode ter sido dominada por um grupo de gente tida outrora como estranha? 


-Senhor dos Anéis
Os RPGs, em geral, talvez ainda estejam bem focados nas mãos dos nerds troo , até porque demanda tempo, dinheiro e contatos para seguir. Mas, com o filme do Senhor dos Anéis (conforme bem ilustrado pelo Nerdcast - gente nerd de verdade falando pra nerds de mentira) e os mmorpg, esse campo cresceu bastante de popularidade. Talvez o desenho do Caverna do Dragão tenha sido um dos principais responsáveis, antes de tudo. Pelo menos para mim, foi ele que despertou o interesse por esses mundos fantásticos, mas acabei que nunca me direcionei muito para os RPGs... 


-Quadrinhos
Cai mais ou menos no mesmo caso do Star Wars... É enorme a popularidade que os quadrinhos fizeram e ainda fazem nos cinemas, retratando justamente o paraíso de um nerd: em geral, os heróis são personagens que se fuderam a vida toda e, com super poderes, podem cuspir na cara de quem os sacaneou. Deve ser isso que cativa tanto nos nerds da época clandestina. 


- Animes
São desenhos e adultos não gostam de desenho (só pica pau)


-Jogos (eletrônicos, aka games)
O jogo faz você ficar numa cadeira, sentado (bom, no meu tempo, você movia os dedos, hoje em dia, supostamente deve ter mais movimentos por conta dos kinetics e wiis da vida, mas creio que o grosso ainda seja o bom e velho estático ativo), você se diverte, fuzila monstros e traficantes, esquece que o mundo lá fora só tem filho de uma puta. Fora que você faz amizades com jogos... Worms me deu isso, conheci gente no Worms que talvez nunca falaria em situações normais, de estilos de vida totalmente diferentes, mas a gente conseguia manter uma conversa mesmo com todas as diferenças... GTA-VC e Half Life, por outro lado, me isolaram de vez do mundo real por um tempo. Mas foram tempos difíceis, as coisas melhoraram, por incrível que pareça.


-Pokémon
Era uma coisa para crianças. É um jogo muito divertido, fiquei até assustado em saber que era categoria RPG, foi o único que me interessou de verdade até hoje. Foi um desenho muito legal e altamente modinha. Mas a diferença é que nerds continuaram gostando. Para um nerd, isso virou cult, para a maioria das pessoas, era apenas uma coisa que ficou pra infância. Sinceramente, vão ver todos os Toy Story antes de ficar com essa bobeira de MIMIMI isso é coisa de criança. Mas é fato que há uma necessidade de se posicionar como adultinho, e quem se fodia era o nerd que não dava a minima em ter pressa pra crescer, ninguém queria ele mesmo.


Queria ver comprar esse na época da chapa quente
-Gadgets
Uma ciosa mais nova, talvez, nos primórdios, fosse a coisa mais da programação. Nerd que é nerd programava pra PIC e hackeava disquetes pra tocar musquinhas, mas aí vieram os tablets e hoje é uma categoria de nerdice da qual eu sou totalmente alheio, o importante é que meu celular Xperia Minipro roda emulador de game boy, tem facebook e cai e nunca quebra (L)



Tinha também a questão de como se vestia... Você, rapaz tímido, ainda sai arrumado de casa, tinha grandes chances de virar alvo. Tirar notas boas podia te encaminhar pra subcategoria CDF, mas continuava sendo nerd. Tirar notas ruins te encaminhava pra categoria mongol, mas igualmente nerd. E ambas subcategorias se unem na "de fora" da educação física. Ahhh a educação física, onde você tem contato com as séries superiores, com os valentões no seu melhor habitat... Ainda deve ser assim, mesmo com toda a melhora na categorização do nerd. 


Supernerd na TV brasileira - Aninha, de Chocolate com Pimenta
Muitos nerds, na clandestinidade, passaram a ouvir rock mais pesado e metal, se simpatizaram com as batidas. Talvez tenham sido Neo-Metaleiros na época, mas, como bons nerds, estudaram a fundo a história da banda, as traduções, pesquisam o contexto da música. Deviam existir os roqueiros com atitude mais malvada que faziam bullying com tudo que passasse pela frente e saía pra noite pra dar porrada, mas creio que muitos roqueiros também sofriam preconceito. Eu lembro bem, na escola, de um playboy chamando a menina de grunge (pra uma menina, deve ser bem chato , meninas ligam mais pra visual que meninos). E esses grupos se tornaram cada vez mais unidos. Eu mesmo me senti bem melhor depois do rock e do metal. A faculdade também me deu proteção... Talvez a expansão das faculdades particulares, nos grandes centros (que, creio eu, seja o que domina a voz da internet) esteja reforçando essa mentalidade de apoio ao gosto nerd. 


Ser neo-nerd parece babaquice a partir do momento em que você, nerd das antigas, da luta armada (sempre armavam uma pegadinha pra você) continua se fudendo e a garota gatinha paga pau dá mole pro garotão pintoso "nerd" que tem um óculos de hipster e que provavelmente não teve sua carteira com dinheiro escondida num lugar alto na escola. Mas o que me irrita de verdade é que isso virou uma coisa comercial, bacana, eu fico feliz em poder comprar itens pokemon mais facilmente broches estúpidos, mas virou um comercial que atrai as pessoas de sempre, para as festas de sempre, mas com o "diferencial" """"""nerd""""""... Vejam os exemplos a seguir:


1)

É bacana ver space invaders na estampa de uma festa, entretanto eu tenho quase certeza que as pessoas dão a mínima pro space invaders. Aliás a música também parece interessante, só que meu ponto é as pessoas vão pra essa festa com as mesmas intenções que o baile funk , acredito que seja só um comportamento hipster. "Ai meu Deus, não vou pra festa de pegação, vou pra festa nerd" ai chega lá e queima a xavasca pro primeiro otário que fala três nomes de jogos do N64.  Sua piranha, saber sobre video game não é nerd, senão não haveria Win11 e lanhouses com Counter Strike (isso ainda existe? na minha época, era a principal atração de lan houses que ficavam cheias de não-nerds). Por sinal, veja uma típica she-nerd dessa festa:


Sim, a garota é gata, não sou paunocu de dizer o contrário, mas ela provavelmente não vai dar mole pra mim se eu citar quais projetos de robôs não funcionaram antes do R2D2.  O.K., isso é preconceituoso, eu SINCERAMENTE queria dar a sorte de uma mulher gata dessas gostar de bobagens nerds, enfim, quem sou eu pra falar, nem conheço mulheres assim. E outra, ela está BEBENDO, nerd não bebe PORRA, o que o nerd vai contar pra mãe com quem ele vive se chegar chapado em casa, sim, to exagerando, nerds bebem. Se eu colocar a bebida como indício de neo-nerdice, meus amigos vão pra essa região também ehehheh e eles são nerds troo.

2)

Ah pros caralho, The Big Bang Theory é uma obra de ficção, como todo o universo nerd, onde os nerds dão aquela lavada de alma e se dão bem de alguma maneira. E PORRA O Big Bang faz festa do dia dos jogos arcades JOGANDO A PORRA DO JOGO EM CASA E FAZENDO SEU PRÓPRIO EMULADOR. Desculpe o caps lock, mas eu fiquei lóuco aqui, me imaginem o Cauê Moura... Por Sinal ele fez um bom vídeo também argumentando.


E mais uma vez a manguaça, finja que gosta de The King of Fighters e ganhe uma tequila. Ah vai tomar no cu, cara. 

Mas nem tudo são coisas ruins, algumas são péssimas. BRIMKS. A vantagem dessa coisa neo-nerd é que o diálogo sobre os assuntos está sendo mais aceitado pela sociedade, o acesso a bobagens está mais facilitado , claro que virou um negócio maaaaas....

E desde quando não é um negócio, como essas coisas chegaram até o Brasil sem serem populares e os arrombados ainda zuavam os nerdinhos??
E, além disso, é bonito ver as coisas que você gostam sendo aclamadas por outras pessoas, algumas que gostam de verdade, outras que tão aí só pra aparecer (eu até acredito que gostem, não há motivo pra ser hipócrita, mas gostam só por gostar, não a nível cult), além de dar uma sensação muito boa de sempre ter sido fã.

Outra categoria de poserismo é dos pseudoroqueiros ... Muitos brotaram ai no Rock in Rio. Basicamente, identifico duas categorias: os que gostam de rock que não é rock e os que não gostam de rock, mas fingem. O que é lamentável no primeiro grupo é a maneira como se apossam dos holofotes roqueiros endeusando coisas que "até vai" e boicotando os clássicos reis do rock. Há quem diga que esse new metal é a salvação pro moribundo rock, mas não posso deixar de discordar, muito pouco provável que o rock "das antigas" esteja morrendo. Os vovôs ainda estão aí compondo (Ac/Dc, Van Halen, Aerosmith), um dia ainda faço um post só sobre isso... E novos fãs aderem aí a cada dia... Mas, para as gravadoras, é mais rentável que se dê o dinheiro para bandas novas... E existem bandas novas boas... Não é preciso ficar limitado a rock puta revolts que nem vo citar nomes (mentira, vo sim, A7x, Linkin Park e Restart)

Já a outra categoria é totalmente aleatória, cujo expoente, na minha mente, é a garota-com-camisa-do- Pantera-que-nem-sabia-que-Pantera-não-era- marca no show do Sepultura. Mais uma vez, o lado ruim de bandinhas puta revolts comerciais é claramente ser ruim e sem a essência do rock (ou eu sou saudosista) e meu lado hipster que me dá tremiliques de "estão roubando meu querido rock!!"... E o lado bom é que qualquer banda (exceto Los Hermanos) que se assuma como rock é melhor que músicas populares. E dá aquela força para que a cena roqueira ganhe força, incentivando produto$ e show$.

Eu particularmente me considero um nerd de Simpsons/Family Guy. Tenho amigos com quem falo muito disso, encho o saco de pessoas pra ver, procuro cenas (e, hoje, com essas frescuras do Youtube de censurar vídeos, fica difícil ter as cenas aí disponíveis) e pesquiso so bre o universo. O próprio Futurama permite emergir num universo vasto de referências.  Pokemon também é algo que sou bem ligado, apesar de não ter ido muito além dos 300 primeiros pokémon, mas os primeiros 150 sempre vão morar no meu coração, um dia experimento as novas temporadas... The Big Bang Theory também é algo totalmente excelente (outro que libera um paraíso de referências a se pesquisar). Por sinal ,TBBT e Futurama são coisas bem atuais, então não é só saudosismo. A questão do saudosismo me faz lembrar da questão de que eu estou crescendo. Talvez as crianças aí na escola estejam sendo escrotizadas por gostarem sei lá,... de Bob Esponja, Ben10? Não estou mesmo por dentro do que as crianças pré-adolescentes poderiam gostar, e Bob Esponja é legal, zuar uma criança por conta de Bob Esponja é coisa de arrombado. Mas mal sabem essas crianças que há um mundo aí de pessoas com quem elas vão conversar e possivelmente, conforme vamos crescendo, vamos sendo mais respeitados. Conhecer pessoas com os mesmos gostos e ter menor contato com gente escrota ajuda. Eu mesmo ainda fico tenso em alguns lugares, situações (como festas lotadas, PORRA Arcade on Fire) e pessoas. Mas hoje em dia sou roqueiro, meu cabelo não é penteado e isso facilita as coisas. E, claro, há um mundo de nerds e - ok- mesmo os neo-nerds por aí, que dão suporte para você sair do armário das esquisitices cult.

Então é isso, se for pra ser poser, respeite quem tá nessa luta desde a época da imundice roqueira ou do underground nerd... E você, gatinha que dá mole pro otário da boate mesmo no ambiente "nerd", recomendo conversar com quem realmente é fissurado nas coisas que você acha que tem nas tais festas, aposto que ele vai pesquisar a melhor maneira de te fazer feliz e vai tecer elogios sinceros. 
*ao som de Bruce Springsteen e Nirvana 

8 de jul de 2012

Paragominas - Município Verde

Hoje, na ausência de programas na tv aberta de manhã (domingo... só tem globo rural, jequiti e coisa crente), decidi ousar e fui até o 32, Futura. Estava passando uma interessante reportagem do Globo Ecologia


Confesso que fiquei surpreso. As pessoas falando de quão bom é viver lá, da educação no trânsito, da atitude ecológica. Bem, pode ter sido algo manipulado para algum interesse político/empresarial, mas prefiro me manter otimista... Queria saber qual foi o dedo por trás disso, pois não se faz uma mudança de prioridades e comportamento assim, do nada. Li na Wikipédia que existe atuação da Vale na cidade. Portanto, imagino que seja alguma contrapartida na forma de investimentos. Mas, mesmo assim, ainda é preciso mais pra me convencer o porquê disso ter dado certo. A pressão política nem é tão grande assim, imaginei alguma força ecológica na região, um Greenpeace atuante... Por sinal, está havendo intensa propaganda da Hidrelétrica de Belo Monte (que, segundo alguns, só serve para benificiar a Vale) aqui no Rio, já vi em muitos ônibus e painéis, mas não lembro de ter visto em outdoor, o que seria até meio que pisar em ovos já que, recentemente, a prefeitura condenou os outdoors por poluição visual, ainda que só nas regiões destacadas da cidade - zona sul e centro - mas, mesmo assim, faz um efeito de "outdoor é ruim, porque acreditar numa informação ecológica nele? Seria o mesmo princípio do Partido Verde distribuindo panfletos. Possivelmente, os poucos populares que darão atenção a isso, vão se convencer de que Belo Monte é bom. Porém, acredito que essa propaganda - aqui no Rio - seja mais pra convencer a "elite intelectual" e essa sim, estaria preocupada, em tese, se outdoor é uma contradição.

Ainda que Paragominas seja uma medida para maquiar uma desgraça maior, ainda acho peculiar o fato de ter sido posta em prática, com tanto descaso com legislação. Deve ter sido, mesmo, pressão internacional (pelo que lembro da matéria, a cidade estava na lista das piores em desmatamento). E, se os depoimentos dados realmente refletem uma mudança de nível do povo da cidade, a medida acabou por se tornar benéfica, criando uma estranha utopia no Norte brasileiro.

6 de jul de 2012

Começou a Palhaçada

Ainda estou em dúvida se voto nulo ou se mantenho minhas eternas esperanças que meu voto vai adiantar alguma merda nessa eleição, dominada por panelinhas, joguinhos, manipulação, entre outros. Do que adianta meu voto, se o tapado na favela vai ter memória curta. Mas gostaria que o Otávio Leite ganhasse, ele me parece ser alguém que fez algo de concreto e, se tem bandeira pelos deficientes, já é alguma coisa no sentido de fazer mudanças efetivas na cidade, em vez de fazer obras faraônicas (Metade da Música, derrubar a Perimetral, etc), já está além de fazer pracinhas... Infelizmente, o carioca tem o eduardo paes que merece, sendo que ser prefeito desta cidade é um prêmio dos bons para quem for mais bandido, mais malandro: é uma cidade com alto custo de vida sem investimento público... Perfeito para um governante, não é? Você caga toda uma cidade, exceto, eventualmente, uma parte pequena, recebe bastantes impostos, paga-se caro para comer, estacionar, se locomover (metrô e ônibus/bilhete único são dos mais caros do país) e a diferença? Bem, a diferença vai para o esgoto dos cérebros dos ouvintes de funk que votam nesse país. Tinha que separar em três mesmo, essa cidade. O Rio fica com Zona Sul, Centro e grande Tijuca ... Barra, Jacarepaguá e São Conrado viram um novo município (sim, existe isso), pega ai o outro lado da Zona Oeste e vira um terceiro e dá o resto pra Nova Iguaçu . Já tá irreversivelmente cagado (talvez desse pra criar o município da Ilha do Governador, ou simplesmente doasse pra Caxias). Ao menos, íamos ter três lugares para receber os eventuais investimentos, três zonas suis, em vez de ter uma só, com um município só. 


Apesar de totalmente desiludido, ainda tenho algum pingo de esperança (sou um eterno otimista), então tenho ai três meses para decidir se levo um dado pra urna ou se voto 45 (ou 54). Uma pena ter tanto imbecil no mundo, bando de filho da puta. E, para não perder o costume, vamos nosso governo e nosso estado que não é nação...

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...