12 de jun de 2011

Sou apenas um guri...

... que curte Iron, Metallica e Legião sem colocar Fear of The Dark, Nothing else matters e Que país é este no celular. Adriano, dotado de extrema sensibilidade, compôs a seguinte versão de Eduardo e Mônica. Ficou foda:


Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?

Raphael abriu os olhos, mas não quis se levantar
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Rayne twittava feito louca
No outro canto da cidade, como eles disseram

Raphael e Rayne um dia se encontraram sem querer
E conversaram muito mesmo pra tentar se conhecer
Um carinha do cursinho do Raphael que disse
"Tem uma festa legal, e a gente quer se divertir"

Festa estranha, com nerds esquisitos
"Eu não tô legal", não agüento mais birita"
E a Rayne riu, e quis saber um pouco mais
Sobre o boyzinho que tentava impressionar
E o Raphael, meio puto, só pensava em ir pra casa
"É quase duas, eu quero ir jogar"

Raphael e Rayne trocaram telefone
Depois telefonaram e decidiram se encontrar
O Raphael sugeriu o Killowatt
Mas a Rayne queria ver um filme da Pixar.

Se encontraram então no parque da cidade
A Rayne de ônibus e o Raphael de "camelo"
O Raphael achou estranho, e melhor não comentar
Mas a menina tinha esmalte entre os dedos

Raphael e Rayne eram nada parecidos
Ela era mexicana e ele tinha dezesseis
Ela fazia Química e falava alemão
E ele ainda nas aulinhas de inglês

Ela gostava do Avenged e do Iron
Red Hot e do Metallica, de Linkin Park e Stone Sour
E o Raphael gostava de desenhos
E jogava worms online com seu avô

Ela falava coisas sobre o carbono quiral
Também energia de ligação
E o Raphael ainda tava no esquema
Faculdade, msn, clube do foguete e televisão

E mesmo com tudo diferente, veio mesmo, de repente
Uma vontade de se ver
E os dois se encontravam todo dia
E a vontade crescia, como tinha de ser

Raphael e Rayne se estressavam todo dia
Xingavam, esperneavam, e depois iam passear
A Rayne explicava pro Raphael
Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar

Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer
E decidiu trabalhar (não!)
E ela se formou no mesmo mês
Que ele terminou de se graduar

E os dois comemoraram juntos
E também brigaram juntos, muitas vezes depois
E todo mundo diz que ele estressa ela
E vice-versa, e que se acalmam depois

Construíram uma casa há uns dois anos atrás
Mais ou menos quando os gêmeos estressados vieram
Batalharam grana, seguraram legal
A barra mais pesada que tiveram

Raphael e Rayne voltaram para o Rio
E a nossa amizade dá saudade no verão
Só que nessas férias, não vão viajar
Porque o filhinho do Raphael tá bem estressadão

E quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?

*ao som de Metallica (Battery e Master of Puppets)

Um comentário:

MATTOS, P.R.O. disse...

Cadeias aromáticas... :)

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...