6 de ago de 2013

Minority Report

Vou falar brevemente de outros filmes e séries que lembrei ao ver o Minority Report (ou seja, prováveis spoillers).



Gostei muito do filme, tem ideias legais que foram bem exploradas, inclusive coisas de tecnologia que, em 2002, nem imaginava que existiriam (bem mais cedo que 2054, é verdade), como o multi-touch (nem o touch simples era cogitado na época dos Nokia 3310 - mentira, acabei de descobrir que existia sim) e o Wiimote/Kinect.

A ideia do pensamento ser transmitido me lembrou o Inception, mas são ideias bem diferentes. No Inception, os protagonistas podiam ver (e alterar) o sonho de uma pessoa, enquanto que os Pre-Cogs faziam o processo oposto, viam o futuro e todos os outros tentavam alterá-lo. Também senti tons de Quero ser John Malkovich, onde é possível ver o mundo através dos olhos de terceiros, e, no caso do Minority, os Pre-Cogs tinham essa habilidade. E, principalmente, lembrei da série FlashFoward, em especial, quando os "deja vùs" previam um futuro ruim e os personagens batalhavam contra isso, mas acabava por acontecer, e acredito que tenha se baseado no próprio Minority, pois muitas cenas do deja vù eram picotadas, com detalhes que não faziam muito sentido, somente quando o acontecimento realmente se revelava.



Em certa parte, comenta-se que os prisioneiros são imersos num sonho, logo lembrei do Vanilla Sky. Olhando de fora, parece terrível uma cadeia com pessoas paralizadas em tubos, mas, se for num sonho lúcido, deve ser até ruim voltar pra realidade.

Um fato que une várias obras nesse estilo é o protagonista que trabalha para o sistema e acaba vítima do próprio sistema. Isso une o Minority Report, o Fahrenheit 451, o Equilibrium (esses dois últimos, inclusive, sendo distopias de combate às artes, num, os livros e no outro, pinturas) e outros que não lembro agora (pensei no 1984, mas o Winston me parece não ser entusiasta do sistema desde o começo).

E, para finalizar, vou citar o animê Psycho Pass, que também usa a ideia do pré-crime e o episódio de Os Simpsons "The Ned Zone", da décima quarta temporada, cujo final se assemelha bastante ao deja vù do John.

Por fim, deixa a mesma dúvida do Incpetion e do Vanilla:


PS: Propaganda direcionada. Tem no Minority, mas já tinha visto anteriormente no Futurama (episódio 6 da primeira temporada, de 1999, "A Fishful of Dollars")
E, também, num dos filmes, o Bender's Game, também rola uma propaganda sob medida.
PPS: Não estou criticando nenhuma das produções por plágio e nem acredito que seja o caso. Estou só comentando do que uma coisa me lembrou outra e, dessa maneira, vamos deixando para as gerações posteriores a visão do futuro dos anos 2000

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...