16 de abr de 2011

Quase morri/O dia do fim/Castelão

Bom, ontem fui um daqueles dias incomuns em que acontecem coisas na minha vida onde alguma coisa acontece. Bom, supostamente quem lê esse blog já deve ter me ouvido reclamar da porcaria do ônibus ontem, mas vou falar mesmo assim.

Estava eu estudando no Cruzeiro do Sul (eu desisti de última hora de ir no 910, para pegar um ar condicionado legal e a alta possibilidade de não ter ninguém sentado ao meu lado e poder espalhar meu material no banco do lado), e ouvindo Queen com meu fone fuderoso que anula a maioria dos ruídos do motor dianteiroe da tentativa do ar condicionado refrigerar e então avistei uma velhinha fazendo sinal pra mim, provavelmente ela teve algum feeling que talvez eu fosse estudante e que fosse descer no Fundão e vi que a trocadora queria falar comigo. Ok, ela perguntou onde ia descer e a essa altura eu já imaginava a merda que ia dar. Aí eu falei "CT, no Fundão" ora, e então bati um papo com o motorista, cuja resposta final foi "Não vai dar pra passar no Fundão" riariaria, mas que bostinha, aí eu fiz aquela ok-guy-face, tá, o motorista foi "gente fina" e me ofereceu pra descer na linha amarela. Bom, aí foi a parte que achei que ia morrer, não havia condições de atravessar o contorno pra virar pro fundão ou seguir pra linha vermelha. Eu corri feito um cão, debaixo do sol pra atravessar as 3 pistas e chegar ao CT e entrar por uma grade no meio do estacionamento, sendo que achei que o segurança ia me perguntar, mas aparentemente é comum entrar por ali, então beleza. Sobrevivi. É claro que, a partir daí tudo que tinha planejado começou a não ser, mas isso é normal, nunca o planejado funciona, já nem me decepciono com isso, ó cá, algumas coisas fora do plano podem ser boas. Enfim, depois das aulinhas estudei controle e achei um livro bom na biblioteca pena que fechou mais cedo, aí teve o Castelo do Vinho que foi legal, cheguei em casa e dormi como uma pedra, engraçado que acordei na madrugada pq LIGARAM, e adivinha a hora que decidiram ligar, 1 e meia, a hora do pesadelo, talvez tenha sido sorte daí o telefone me evitou de ter o pesadelo, ou foi uma merda mesmo porque ia dormir 9 horas direto como uma pedra, mas não, decidiram LIGAR A COBRAR 1 e meia. Pouco antes de acordar sonhei que ajudava um bêbado e sonhei com andanças em Copacabana e lembrei disso, mas não vem ao caso. Pronto. Chega né. E cadê o fim inevitável? Está chegando né...

*ao som de David Lee Roth (Little Texas), Legião Urbana (Giz, Teatro dos Vampiros, O mundo anda tão complicado), Goo Goo Dolls (Stay with You), Iron Maiden (Bring your daughter ... to the slaughter), Metallica (Nothing Else Matters)

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...