18 de ago de 2012

A importância da bicicleta


Se tivéssemos mais segurança, mais educação, menos filhos da puta, poderia simplesmente ir com minha bicicleta a um lugar com mais opções de ônibus. O projeto da prefeitura é bom, mas ainda é caro pagar 5 reais para um deslocamento real (e se cansar), muito menos para cobrir uma distância pequena para aumentar as opções de transporte. Fica mais destinado a lazer mesmo. Li (e acho que entendi errado) que até 1 hora de uso, a bicicleta é 0800, se for isso mesmo, aí sim é uma boa opção para fugir do trânsito ou alcançar o metrô, mas tudo isso no escopo de Zona Sul... Se caminharmos para bairros onde tem mais ruas e maiores distâncias, fica impraticável colocar bicicletas suficientes. Segundo, que, se afastando da Zona Sul, o nível de educação vai caindo e, sinceramente, não entendo como as estações que vi  de bicicletas não estão pichadas e como ainda não arrebentaram uma bicicleta nesse bicicletário...

Eu tenho minha própria bicicleta. Seria muito adequado poder deixá-la em algum lugar próximo, por exemplo, de regiões com muitas linhas de ônibus. Por exemplo, com o bilhete único, pego um ônibus até a Gardênia, mas, com o engarrafamento que acontece por lá, ando quase metade a pé. Seria muito ideal deixar minha bicicleta lá na passarela e pegar o ônibus que quisesse. Muita gente faz isso, mas as bicicletas ficam amontoadas, em lugar claramente proibido. 





E, pra mim são dois problemas: 1 - eu temo q a lei exija de mim meus deveres, ao contrário do pessoal que pára lá e 2 - eu não quero ser roubado e não é nada difícil roubar. Se o cara quiser, ele consegue fazer parecer, no máximo, que perdeu a senha. Mas provavelmente vai ser discreto a ponto de arrebentar o cadeado e se mandar. Claro que essa perspectiva  não ia ser saudável, ia ficar tenso o dia inteiro achando que iam me passar a perna... 



Só que em vez de pessoas, são bicicletas
Fazer pontos adequados de parada seria uma grande contribuição. Na praia, há bastantes opções de paradas, mas, na minha opinião, conhecendo a população, não são paradas adequadas. São só lugares em que você simplesmente prende com o cadeado. Não dá pra confiar naquilo, por melhor que seja o cadeado... Paranóia minha, eu sei, mas é complicado. 



Com a população  e com o governo que temos, acho que a única solução é conhecer pessoas que morem perto dos destinos e deixar a magrela por lá... Mas acho um meio de transporte muito interessante. Outro exemplo são as pessoas que vão até os centros de seus bairros - de carro - e pegam esses ônibus caros, frescão que, por caros que sejam, saem mais baratos que estacionamento/gasolina até o centro/eventuais pedágios e flanelinhas, fora uma série de outras vantagens. A questão é o estacionamento no próprio bairro, muitos dão um jeitinho. Esse pequeno trecho poderia muito bem ser feito em bicicletas, e os ternos iam na mão... Tirando dias de chuva, dá pra fazer isso. Esses frescões são possibilidade real de trocar o carro por transporte público (claro que o ideal era ter mais metrô e o metrô não ser sacaneado) e uma integração com bicicleta eliminaria totalmente a necessidade de: 1) o patrão se sujar num ônibus normal para chegar até o frescão e 2) o patrão ter que, de fato, tirar o carro da garagem. 



Bicicletas que cabem numa cápsula, única solução
Cadê Capsule Corp. nessas horas??

Não vejo solução... Ainda. Mas temos muitas mentes para pensar nisso, falta incentivo. As bicicletas do banco são realmente uma alternativa boa, porém ainda fora da realidade do brasileiro. Bicicletas podiam simplesmente ser leves e dobráveis... Vou de skate pra faculdade!

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...