19 de jun de 2012

Para ser lido na Rio +40, parte 1?

Praça Mauá, Protestos múltiplos no centro, navio do Greenpeace lotado. Cadê os ônibus de SP? E os brinquedos da Coppe?



Posso falar que participei da Rio +20. Ainda que de forma casual  fora dos dois maiores polos (Flamengo - Cúpula dos Povos e Riocentro), vi algumas coisas na Praça Mauá, com destaque paraa inserção na Amazônia e principalmente, o navio do Greepeace, enorme. Infelizmente a fila de 3 horas me desanimou, mas tinha coisas bem interessantes lá dentro, pena que nunca vo poder ver. A vista de lá de trás do armazém 4 é muito bonita, pegando toda a ponte e um monte de baía da Guanabara, pena ter procrastinado a liberação de espaço do cartão de memória pra fotos.  Possivelmente nunca mais vo ver essa paisagem até porque o futuro dessa região é virar área de hotéis, tão realizando o Ponha Abaixo no Porto. Por sinal, o lado de fora estava péssimo, apesar do bom policiamento, lá ainda é o porto, e varias pessoas pelas ruazinhas com aparência cracuda me desestimularam a descobrir onde raios eu chegava na Presidente Vargas. E as ruas todas em cacos, com as obras e buraqueiras do Rodo do Eduardo Paes.

Vi ônibus de SP pela Linha Amarela, queria ter visto pessoalmente, mas acabou que não consegui, provavelmente estavam no Riocentro, poderia ter ido antes do evento iniciar oficialmente, mas não fui e, quando começou pra valer, com os chefões presentes (pois antes, só havia os diplomatas, possivelmente os que trabalharam nas propostas de fato), não tinha mais como acessar o evento paralelo, na Cidade do Rock, devido a engarrafamento e maior restrição no acesso de não VIPs...


Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...