2 de set de 2010

O que política não é

#Futebol
Não estou me referindo, especificamente, a candidatos como Bebeto (cujo site, por sinal, tem uma música chata que é automaticamente tocada, não recomendo que cliquem), Romário entre outros. Me refiro, sim, à confusão que você, popular, insiste em fazer com algo que não se muda, seu time do coração, e algo que deve sim, ser mudado, conforme você vê que não presta, seu candidato manipulador. Partido não é time! Quando seu time está uma porcaria, está na segunda (às vezes até na terceira!) divisão, mesmo assim você continua defendendo. Não importa se os diretores são safados. Se os jogadores são assassinos. O time é maior que isso. O problema é que os brasileiros insistem em fazer o mesmo com seu candidato. Defendem cegamente seu candidato, mesmo que os fatos comprovem que é um pilantra. Lula é ladrão e grosso. Mas as peffoa defende ele (no melhor português que eu desaprendi ao longo desses 8 anos). Mas e os fatos? E o mensalão? Apesar disso tudo, se defende até a última circunstância, podendo até levar a perda de amizades por conta disso.

#Troca de favores
Coincidentemente, o político bonitinho fez uma obra na sua rua na época das eleições. Coincidentemente, ele pediu pra sua assessora passar uma lista de "vontades" dos eleitores, que na verdade, é uma autorização para que coloquem plaquinhas em todas as casas da rua. Mas ele é gente boa, faz obra pro povo de 4 em 4 anos. Estou falando do Pedro Paulo dos candidatos aproveitadores. E o pior, isso faz com que a pessoa vire fã do cara e defenda até o vestiário do cidadão, como se fosse um deus, um verdadeiro doutor que não fez doutorado mas é doutor porque quem faz doutorado é um fudido otário que fica estudando e não faz nada da vida, quem é doutô de verdade é político e advogado que com uma campanha/processo ganha mais e pode comprar carro importado e cuspir na cara dos não-doutores e dos doutores com doutorado e acaba por cair na situação anterior, o dô-tô vira seu time de futebol.

#Prova de amizade
Seu amigo/vizinho/colega mala do trabalho/cara chato que te segue até o ponto de ônibus pedindo pra você votar numa coisa que você não quer votar é candidato? Você deveria então votar nele né? Po, maior sacanagem não votar, vai que ele só tem o voto dele e da mãe. Seria triste né? A piedade dos brasileiros, em algumas situações, (além de ser demagoga) é uma verdadeira burrice. Você não tem que votar em alguém comprovadamente despreparado só porque você conhece essa pessoa. Política não é prova de amizade. Se o cara não tiver nem o voto dele, explique que ele precisa se preparar melhor, trazer melhores propostas, ou simplesmente diga a ele que ele tem que entrar para um partido com mais tempo de televisão, fazer um curso expresso de direito pra aprender a ser um pilantra e continue a não votar nele, pois aí voce saberá o monstro que você criou.

#Poluição Visual/Sonora/whatever
Um político que pede pra colocar plaquinha e deixar sua rua toda feia, que coloca um carro de som em frente a um hospital/casa de repouso pode prestar, em alguma circunstância? Política não é feira. Ontem mesmo, vi duas palhaçadas no meu caminho da faculdade para casa: uma era um cara colocando (de forma bem perigosa) um cartaz de um deputado (que não deu pra ver quem era, mas logo verei pois vou passar de novo e lembrar disso) numa passarela da Linha Amarela, na altura da Vila do João; a outra foi um adesivo colado num orelhão do sr. Doutor Lei Seca (ou coisa parecida, o qual vou anotar aqui para os nomes da eleição bizarra), eu simplesmente arranquei o adesivo e joguei fora. Isso, na verdade, tinha que ficar a vista pras pessoas decentes verem bem quem estraga o patrimônio da cidade, mas pelo contrário, o efeito é as pessoas verem aquilo e dizer "ah, foda-se, por algum motivo aleatório vou votar nesse aí". Já pensei em denunciar, mas são tantas irregularidades que eu ficaria dois dias inteiros pra fazer isso, um dia pra ser atendido no telefone e outro pra falar tudo que vejo. Mas posso citar alguns nomes (só alguns poucos que vierem à minha cabeça): Carlão Cidadão (#eleicaobizarra), Brizola (vários painéis sem ninguém tomando conta no Aterro do Flamengo, impressionante como a pessoa pode ser cara de pau, ainda por cima usa o nome de um certo político famoso, que também citarei abaixo), Tio Carlos, Pedro Paulo (é óbvio), Jandira e outros que não lembro o nome agora.

#Resultado de estatísticas
Ontem, também ouvi um absurdo mortal. A cidadã disse "vou votar no Crivela (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!) pro Cesar Maia não ganhar". Ela esqueceu de considerar que são DOIS eleitos para o Senado e que ela deveria votar na porra do candidato com as melhores propostas. Aí você pensa "essa imbecil é uma popular". Ela disse isso em pleno campus do Fundão, teoricamente onde as pessoas são mais esclarecidas. Por mais que as estatísticas sejam corretas (eu estudei estatística, e a margem de erro diz com essa precisão quantos votos a pessoa teria hoje, já que não é possível entrevistas todas as pessoas que votam. Tem todo um estudo por trás disso, e eu considero as estatísticas corretas e sérias), o voto deve ser em quem você considera o melhor. Também já vi coisas do tipo (de amigos meus esclarecidos!) "ah Fulano já vai ganhar e eu não gosto dele, vou votar nulo" sendo que o voto nulo só ajuda o fulano. Quer boicotar, vote no último da pesquisa que não vai ganahr mesmo, mas vai ajudar a ter segundo turno.

#Religião
O estado é laico ponto final.

#Hereditariedade
O Picciani tem mais 2 parentes candidatos, um para cada hierarquia. O tal do Brizola deve ser o neto daquele Brizola. Suponha que o Picciani seja bom (você e eu sabemos que ele não presta né? Alerj, trabalho escravo...). Isso quer dizer que o filho também será? Quem viu Jurassic Park sabe que o filho do velhinho não presta é um safado e aprendeu que as boas gerações se alternam. Não necessariamente, mas um parente não vai ser a continuação do "bom trabalho". S. Ferraz também entrou nessa e tá elegendo algum fulano Ferraz (acabo de lembrar onde vi isso, num poste perto do pedágio da linha amarela. Provavelmente o dono do poste permitiu esse cartaz). E aí, vai encarar?

Então é isso, vez ou outra eu melhoro isso aqui. Em breve, farei o post das #EleiçõesBizarras com os nomes mais esdrúxulos (Carlão Cidadão, Waguinho o pagodeiro, etc) . E eu aposto em Tiririca como o deputado mais votado do Brasil. E lembre-se, veja seu candidato como se fosse sua nova TV de 42 polegadas. Você não compra a primeira que vier, vê se a marca é de confiança, se só tem aparência, se é durável e confiável.


Visão do inferno. Os cavaleiros do apocalipse reunidos. Como são falsos!

Um comentário:

Carlos Eduardo Vieira de Moura disse...

Perfeito. :D
O melhor pra mim é a hereditariedade.

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...