9 de mar de 2011

Isso não faz sentido

Acho impressionante a dificuldade para se assistir TV online. Não vejo a razão pela qual as emissoras, em vez de facilitar a divulgação, parecem é dificultar. Vamos analisar o caso específico das TVs abertas (é, nem essas é possível): elas estão "de graça" disponíveis pra qualquer um que consiga fazer um bombril ou um arame captar o sinal. O que as custeia é a propaganda. E o que a propaganda quer é ser vista. Pronto. Ela não se interessa, exatamente, onde vai ser vista, se no computador, no smartphone, na tv de caminhão ou na tv de plasma com sinal digital via cabo.

Então, a publicidade precisa saber se está sendo vista. Para isso, existem os institutos de pesquisa que divulgam os famosos pontos de audiência. Não sei ao certo, mas esses pontos são calculados por aparelhos distribuídos que mandam as informações de canais para uma central que computa. Também é possível se medir a audiência por pesquisas. É possível sentir a audiência: pelas conversas, pelos ecos das televisões ligadas, pelo twitter. Sim, pelo twitter, o que sempre defendo aqui, o TT é uma excelente ferramenta. O twitter permite aprimoramento tanto pelas emissoras quanto pelos patrocinadores, mostrando que a televisão e o computador não competem, mas se complementam.

Podemos até refletir um pouco a respeito das diferenças entre o conteúdo gerado na internet e televisão. A internet permite maior liberdade, mas geralmente liberdade demais faz perder o foco. Por exemplo, suponha um documentário que te interesse num canal. Você poderia procurar informações na internet e até mesmo achar o documentário disponível. Porém, provavelmente, você ia entrar no msn e no orkut, o que acho natural, nós (pelo menos eu) não entramos na internet com o objetivo de pesquisar tudo que interessa. Uma coisa ou outra eu me aprofundo no assunto (geralmente quando esbarro sem querer com o assunto) ou quando necessito, pesquiso na internet. Mas não sou de pensar num assunto e ficar pesquisando, nem sou uma jukebox de assuntos interessantes. Muitas vezes a televisão faz esse papel. Só dar uma trocada aleatória nos canais e, de repente, a gente se depara com uma coisa interessante. Aconteceu isso comigo quando me deparei com um documentário sobre o Tetris. Foi uma forma interessante e informativa de passar o tempo. Não era forçado a assistir então não é uma ditadura, poderia ter pesquisado na internet posto que o assunto me interessava, mas a televisão foi um instrumento que me possibilitou prestar atenção nesse assunto. Pode ser que eu seja "velha guarda", os computadores foram se tornando populares a medida que eu ia crescendo, pode ser que a gurizada que nasceu já com os computadores voltados pras massas tenha uma interação diferente com as informações da internet. Creio que não...

Após uma breve filosofia sobre como a televisão é uma forma única de informação (com suas desvantagens, é claro, principalmente quando os canais mais populares são um canal que apoiou regimes autoritários e um canal que apóia manipulações deslavadas pela religião), volto então para a importância da televisão e a internet se misturarem. Apesar de que, hoje em dia, muitos celulares possuem televisão e internet (mas televisão a partir da anteninha), é interessante você poder abrir um site e pode ver algum programa por lá. Eu mesmo, muitas vezes, gostaria de ver alguma coisa na televisão mas prefiro ficar pelo computador mesmo (e muita gente tem uma televisão a ficar falando sozinha enquanto se está no computador) e penso como seria legal captar o programa pela internet. A duras penas, achei um site com design ruim e desorganizado, que eu vejo Band (muitas vezes com lag, aí se torna impraticável) e alguns jogos de futebol, mas dá pro gasto. Este site aqui. E sempre me pergunto "Por que não a própria emissora colocar um link no seu site?"As propagandas são exibidas da mesma maneira (a menos de programações locais, onde os patrocinadores também são locais), a abrangência se torna até maior e ainda há o fato da internet tornar as coisas virais, através de um link, você passa o programa do momento para seu amigo e assim sucessivamente, se a coisa for interessante mesmo, vai se espalhar com uma facilidade ímpar na internet. Penso no que pode ser ruim para as emissoras não fazerem isso: copiar conteúdo? TVs digitais, celulares e câmeras podem fazer isso e retransmitir trechos de programas pela internet não me parece ruim, só é divulgação gratuita (VEVO que o diga né, as pessoas fazem divulgação grátis das músicas e eles ainda caçam os direitos autorais, isso é uma grande derrota do YouTube, bom, não vou entrar nesse assunto; fico na expectativa que ascenda algum site passível de substituir o YouTube onde você possa colocar suas músicas e trechos de Family Guy).

Vale citar aqui que muito do conteúdo, pelo menos da Grobs e da Récorde, ficam disponíveis, por exemplo:

Bom dia Rio - tem o vídeo ali embaixo, uma pena não permitir incorporar o vídeo ao blog.

Rec Bola:

A questão de permitir o conteúdo online pode até ser uma questão de estrutura. Acredito que tenha conteúdo da Globo que seja exclusivo pra assinantes, pelo menos é uma das vantagens apresentadas pela propaganda. Vale ressaltar que a Oi Fm, no caso do rádio, já teve essa visão e permite ser ouvida online e deixou uma versão da falecida Rádio Cidade online, pena que só toca emo.

Então, espero que as emissoras, pelo menos da TV aberta (não citei as fechadas porque elas devem ganhar algum jabá já que temos que pagar por elas, mas se elas exibem propaganda também, por que não?) tenham visão de expandir seus horizontes ao invés de se limitarem.

*ao som de Iron Maiden (Lightning Strikes Twice, The Clansman, When two worlds colide, The Educated Fool, Don't look to the eyes of a stranger, Como estais amigos)

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...