16 de fev de 2011

A facebookização dos relacionamentos

Bem, nesses dias de férias em que não há nada além de um msn forever alone pra se curtir à noite, aguardo o começo do futebol que, nessa época do ano, é interessante (campeonato carioca). Ainda tenho uns 10 minutos, então decidi postar (ou começar a postar) uma coisa que quero pôr aqui faz um tempo (é possível que já tenha postado e minha cabeça nas nuvens tenha se esquecido desse fato).

Mas ontem, numa conversa com o Ian, me voltou essa idéia à mente. E vou liberá-la agora (antes que um improvável leitor desista de ler até porque a improbabilidade de se ter um leitor aqui me levaria à Roma, piada inspirada na Harpias).

Então é o seguinte: comentávamos em como o orkut era mais interessante antigamente. Muito se fala da "orkutização" do facebook, o que eu acho, particularmente, uma pena: o orkut parecia uma coisa mais simpática, mais brasileiro, mas o povo gosta de se sentir chique usando um padrão americano, no facebook e até no twitter, nessa nova lamentável versão. Aliás, o orkut ter se "facebookado" quando mudou o design e inseriu umas frescurinhas no tal "Novo Orkut" talvez tenha sido a sua própria cova. Talvez desesperado pelo crescimento do Facebullshit ao redor do mundo, tentou se adaptar, quando ainda era presença dominante no Brasil. Mas, aparentemente, agora está havendo o verdadeiro boom e parece que as pessoas estão mudando de lado mesmo, assim como aconteceu no ICQ para o lastimável MSN, que nem aparecer offline tinha, conforme profetizei no meu primeiro status do facebook. Aliás, este é outro ponto curioso e demagogo: a privacidade. As pessoas reclamavam de privacidade no orkut e colocavam todo tipo cadeado, até evitar que pessoas mandassem recado (difícil entender isso, me lembro do curioso caso que uma pessoa me mandou um recado e eu não podia responder porque ela não permitia receber recados dos não-amigos)...

Mas, a hora já se adianta e já estou perdendo o Mengão. Não deixem de conferir a continuação. Até a próxima!

*ao som de Red Hot Chili Peppers

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...