18 de nov de 2010

Ônibus, nem de graça

Com a novidade do bilhete único, venho me beneficiando pegando o segundo ônibus após o da faculdade e deixando de andar os quase 3 km usuais. Mas ao longo da semana, vim refletindo que talvez fosse melhor mesmo ir a pé. E hoje, fui a pé. Felizmente não chuveu no caminho e acordei o Gurgel .

Eis as razões:

- Impaciência
Esperar não é o meu forte.

- Tropa de Elite 2
O crescimento desordenado faz os ônibus ficarem cheios. Ônibus cheio pra ir daqui até ali, nem de graça.

- DJ de ônibus
Impressionante, fora o ônibus da faculdade, isso é quase uma constante.

- Ver pessoas
Não que, no ônibus, não veja, mas na rua é mais dinâmico. Sempre tem aquela cocota pra te dar uma piscadinha.

- Atravessar ruas feito um fodão
Sem olhar pros lados fazendo fuckyea

- Realizar atividades físicas
Afinal, eu não faço nada além de andar. Saudades do tempo que eu fazia futebol e judô no mesmo dia.

Então é só, até mais.

*ao som de Hall and Oates - Out of Touch e Missing You (GTA VC)

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Raphael Fernandes
Carioca, Brasileiro, Estudante de Robótica
Hiperativo, Imperativo
Gosto de tecnologia, de transporte, de Rock, de reclamar e de propagandas criativas (e outras coisas que posso ter falado em um post ou não)
Musicalmente falando, sou assim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja também...